mea-poder

No último texto publicado teci alguns comentários acerca dos bastidores do poder e ao final os (me) provoquei: qual sua fome de poder? Ou qual o tamanho de sua fome pelo poder?

Hoje queria provocá-los com mais uma questão e, consequente, reflexão: Será perigoso ter fome de poder?

Em minha avaliação tudo o que é desmedido oferece perigo. Então, será que o poder causa medo? Penso que se não causa, deveria causar. Não o medo que paralisa, mas o medo que promove responsabilidade, que nos faz refletir sobres os impactos das nossas ações. Afinal, quem tem poder influencia e, convenhamos, esta influência tanto pode ocorrer para o bem, quanto para o mal, portanto, precisa sim, ser revestida de muita responsabilidade. Poder deveria andar sempre de mãos dadas com a prudência.

Quem tem poder, tem a possibilidade de realizar. Fica fácil para nós identificarmos o Poder do Estado, das Forças Armadas, do presidente da empresa na qual trabalhamos, ou seja, o poder constituído formalmente, mas e quando esse poder existe, mas não nos damos conta?

Você já parou para pensar, e identificar, em quem tem poder sobre você? E você, possui poder sobre quem?

Ao responder tais questões, não para mim, mas para você, será possível começar a conhecer os limites de sua influência. É sempre bom lembrar que ter poder de influenciar pessoas – aqueles que na linguagem corrente são chamados de formadores de opinião – demanda responsabilidade e prudência.

Sou Mestre e Doutora em Administração de Empresas, ministro cursos de MBA, em todo o território nacional, peViviane Narduccila FGV e ESPM, tenho forte experiência executiva no setor público e realizo consultorias e programas de capacitação em Gestão Estratégica de Pessoas em organizações públicas e privadas. Tudo isso só é possível porque, acima de tudo, adoro conhecer pessoas e trocar experiências. Além disso, adoro moda, decoração, gastronomia, conhecer novos lugares….